Júpiter Maçã – A Sétima Efervescência (1996)

Seu primeiro disco solo, A Sétima Efervescência (1997), é calcado nos moldes de The Piper At The Gates Of Down, do Pink Floyd, com psicodelia e experimentação (e, por um leve momento, um prenúncio de sua obra anterior, o final de “Sociedades Humanóides Fantásticas”, uma bossa-nova psicodélica). As músicas desse disco são referência obrigatória ao se falar em rock brasileiro, principalmente o composto no Rio Grande do Sul. Contém pérolas do imaginário underground, como “Um Lugar do Caralho”(regravada por Wander Wildner) e “As Tortas e as Cucas”.

Esse post foi publicado em Jupiter Maça. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s