Textículos de Mary & a Banda D’as Cachorra – Cheque Girls (2002)

“O Textículo de Mary era um grupo liderado por três homossexuais assumidos. Tocavam com fantasias esdrúxulas e simulavam orgias em suas apresentações. Visualmente, era uma espécie de Kiss gay. Por conta das performances para lá de ousadas, o grupo sempre dividiu opiniões. Os mais bem-humorados encaravam tudo como pura e simples anarquia, assim como o rock, de maneira geral, deve ser encarado. Já a ala conservadora, predominante em Pernambuco e no restante do país, achava aquilo a mais pura sem-vergonhice, safadeza, coisa do demo. “Por um breve momento, o rock foi mais rock do que nunca em Pernambuco. Até o dia em que o fantasma do conservadorismo pôs fim à uma banda que sabia contar histórias e que fez história.”

Esse post foi publicado em Textículos de Mary e a Banda D'as Cachorra. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s