Aphrodite’s Child – 666 (1971)

Aphrodite’s Child, banda formada na mitológica Grécia e liderada pelo famoso “tecladista-ambiente” Vangelis (que mais tarde chegou a gravar com outros músicos progressivos, como o Jon Anderson, do Yes). Esse disco é, sem sombra de dúvidas, o trabalho mais rebuscado, intrincado, complexo e a frente de seu tempo que o Aphrodite’s Child já gravou, bem superior ao que a banda (e o próprio Vangelis) fizeram posteriormente – tanto que quem conhecer outros trabalhos deles depois de ouvir esse “666” com certeza vai ter uma decepção e tanto. Nesse excelente álbum duplo, o Aphrodite’s Child lança mão de longos solos instrumentais, citações em grego, corais celestiais (e as vezes infernais), e outros artifícios comuns (e outros tantos absolutamente únicos) para a época. Vangelis teve aqui o momento de maior inspiração de toda a sua carreira, combinado rock progressivo com outros elementos de world/soul/tribal music, krautrock, space/psychedelic rock, etecétera, ao longo do disco (com destaque para o vocal do baixista Demis Roussos nas excelentes melodias de “Babylon” e “The Four Horsemen”, da gradeloqüente e orgásmica (!) participação de Irene Papas em “Infinity Symbol”, e para os belíssimos momentos instrumentais proporcionados principalmente pela viajante (e competetente) guitarra de Silver Kolouris), para no final fundir-se na extraordinária suíte “All the Seats Were Occupied”.
Esse post foi publicado em Aphrodite's Child. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s